O Centro Histórico do Porto é a área mais antiga da cidade do Porto, em Portugal, classificado como Património Cultural da Humanidade desde 1996. Corresponde ao tecido urbano marcado pelas origens medievais da cidade e inclui territórios situados nas freguesias da Sé, de São Nicolau, da Vitória e de Miragaia.

Apesar de toda a evolução e mutações que ao longo dos tempos se deram no Centro Histórico do Porto, ainda hoje a observação do conjunto urbano que se apoia no velho casco medieval proporciona uma imagem de coerência e de homogeneidade. Sugere imutabilidade e permanência no tempo, constituindo assim um exemplar único de uma paisagem urbana dotada de identidade, forte carácter e qualidade estética.

MONUMENTOS:
A área classificada pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade inclui a parte da cidade interior ao traçado da antiga Muralha Fernandina, do século XIV e algumas áreas adjacentes de características idênticas ou valorizadas por realizações posteriores num total de cerca de 49 hectares. De entre os monumentos integrantes desta área encontram-se:
  • Alminhas da Ponte Antigo;
  • Clube dos Ingleses;
  • Cadeia da Relação;
  • Capela dos Alfaiates;
  • Capela de Nossa Senhora da Silva;
  • Capela do Senhor dos Passos;
  • Capela da Nossa Senhora do Ó;
  • Casa do Beco dos Redemoinhos;
  • Casa do Cabido;
  • Casa do Despacho da Ordem Terceira de São Francisco;
  • Casa do InfanteCasa dos Maias;
  • Casa da Rua de D. Hugo n.° 5;
  • Casa da Rua da Reboleira, n.º 59;
  • Casa da Rua de São Miguel, n.° 4;
  • Chafariz da Colher;
  • Chafariz da Rua Escura;
  • Chafariz da Rua de São João;
  • Chafariz da Rua das Taipas;
  • Chafariz das Virtudes;
  • Cubelo reconstruído da Cerca Velha;
  • Edifício na Rua das Taipas, 76;
  • Estação de São Bento;
  • Estátua equestre de D. Pedro IV;
  • Feitoria Inglesa;
  • Fontanário do Largo da Sé;
  • Fonte da Rua das Taipas;
  • Igreja da Misericórdia do Porto;
  • Igreja de Nossa Senhora do Patrocínio;
  • Igreja de Nossa Senhora da Vitória;
  • Igreja da Ordem do Terço;
  • Igreja de Santa Clara;
  • Igreja de Santo Ildefonso;
  • Igreja de São Bento da Vitória;
  • Igreja de São Francisco;
  • Igreja de São João Novo;
  • Igreja de São José das Taipas;
  • Igreja de São Lourenço ou Igreja dos Grilos;
  • Igreja de São Nicolau;
  • Igreja e Torre dos Clérigos;
  • Mercado Ferreira Borges;
  • Monumento ao Infante D. Henrique;
  • Mosteiro da Serra do Pilar (em Vila Nova de Gaia);
  • Muralha Primitiva;
  • Muralhas Fernandinas;
  • Museu de Guerra Junqueiro;
  • Ourivesaria Cunha;
  • Paço Episcopal do Porto;
  • Palácio da Bolsa;
  • Palácio de São João Novo;
  • Pilares da Ponte Pênsil;
  • Ponte Luís I;
  • Praça da Ribeira;
  • Restaurante Comercial;
  • Ruína Medieval da Casa da Câmara;
  • Sé do Porto;
  • Teatro Nacional de São João;
  • Torre da Rua de Baixo;
  • Torre da Rua de D. Pedro Pitões.

 

A envolver a área classificada foi ainda definida uma área de protecção que inclui:
  • A Avenida dos Aliados e quarteirões envolventes até às Praças da Trindade, de D. João I, D. Filipa de Lencastre, Gomes Teixeira e Carlos Alberto, o Jardim do Carregal e o Hospital de Santo António;
  • A zona da Alfândega Nova e o vale das Virtudes; as encostas das Fontainhas e dos Guindais;
  • Uma faixa a nascente da antiga linha da muralha medieval nas imediações da Praça da Batalha;
  • Toda a zona ribeirinha de Vila Nova de Gaia, onde se encontram as caves de Vinho do Porto.

Esta coroa, de valor patrimonial significativo apesar de alguns exemplares descontextualizados, abrange um total de 130 hectares.
Em 1991, a Câmara do Porto apresentou a candidatura do Centro Histórico da cidade à UNESCO para classificação como Património Cultural da Humanidade.

FONTE: Wikipédia.
Requalificação da Cristal GH, projeto aprovado pelo Portugal 2020